Quinta, 16 Abril 2015 12:23

O Upaon-Açu realiza palestras e atividades lúdicas pela conscientização sobre o ruído e uso da voz

Estudos indicam que o ruído está entre os principais agentes causadores de estresse, insônia, depressão e até perda auditiva que levam a mudanças físicas e psicológicas negativas nas pessoas. Preocupada com esse problema, o Upaon-Açu, por meio do setor de fonoaudiologia, realizou, dia 15 de abril, uma palestra para os alunos do 8º e 9º anodo ensino fundamental II, com a temática "Ruído" e, dia 16, aconteceram ações e atividades, ao longo do dia, voltadas aos professores, em comemoração ao Dia Mundial da Voz.

A palestra proferida pela fonoaudióloga Emmliny Serra, abordou, em comemoração ao Dia Internacional da Conscientização sobre o Ruído, 25 de abril, o tema para despertar os estudantes a um problema que já afeta milhares de pessoas, principalmente, adolescentes, por utilizarem fones de ouvido para ouvirem músicas no último volume. A ação alertou sobre os problemas de se manter exposto a ruído bem como seus efeitos na saúde, qualidade de vida e no meio ambiente, reforçando também a responsabilidade de cada um em reduzir o ruído gerado pelas atividades diárias, através da mudança de mentalidade e comportamento, inclusive no que se refere à poluição sonora.

Segundo o estudante Alfredo Santos, 13 anos, estudante do 8º ano do ensino fundamental, é de grande importância a palestra e o papel da fonoaudiologia na escola. “Hoje aprendemos que devemos melhorar nossos hábitos, qual o volume dos fones de ouvidos e que precisamos aprender a como lidar com os ruídos para não afetarem nossa saúde", frisa.

A fonoaudióloga Emmliny Serra da escola, também ex-aluna do Upaon-Açu, está desenvolvendo dentro da instituição, alguns projetos e ações que trabalham todas as áreas da Fonoaudiologia, agregando estudos com os jovens e crianças, considerados público alvo da campanha, por estarem cada vez mais em contato com os mais diversos tipos de ruídos e por fazerem uso de equipamentos que oferecem riscos à integridade auditiva.

Segundo Emmlint Serra, a informação é o melhor caminho para resultados concretos. “As palestras atuam diretamente com os envolvidos, principalmente com os jovens que abusam do uso de fones de ouvido. Com as informações recebidas, eles se veem mais responsáveis por possíveis danos no futuro”, explica.

É importante ressaltar que a atuação do fonoaudiólogo, dentro do contexto escolar, distancia-se da clínica no sentido de uma prática curativa, pois atua dentro de um programa, com uma equipe interdisciplinar, de forma a contribuir com o seu conhecimento no processo de desenvolvimento de habilidades/competências linguísticas indispensáveis para quem vai ler e escrever.

O estudante Cristiano Frazão, do 9º ano do ensino fundamental II, gostou muito da palestra e afirma que a escola vem, a cada dia, ajudando os alunos no aprendizado dentro e fora da sala de aula. "A escola se importa com o nosso aprendizado e com a nossa saúde, quando traz um profissional de fonoaudiologia para nos instruir a como lidar com certos vícios que nós estudantes temos, como o de ouvir música alta por meio do fone de ouvido", enfatiza.

Segundo a coordenadora de RH do Upaon-Açu, Ana Coely Pedrosa, a escola preocupa-se em garantir a todos os públicos, sejam eles adultos, crianças, profissionais, professores e, até mesmo a família, para que haja atendimento mais especializado no atendimento a determinadas demandas na instituição. "Existem dificuldades como a de compreensão, dicção, relação de professores e alunos quanto a esses problemas, funcionários podem apresentar esse tipo de deficiência e a profissional de fonoaudiologia tem esse olhar mais especializado. Inclusive temos uma funcionária que tem uma perda de audição e o trabalho com a fonoaudióloga, vem fazendo com que ela tenha maior autoestima", afirma.

Dia Mundial da Voz

As cordas vocais são as responsáveis pela vibração que produz a voz e podem ficar sobrecarregadas, quando muito utilizadas, de forma incorreta, principalmente pelos profissionais que dependem dela para trabalhar, como os professores, por exemplo. Pensando nisso, na quinta-feira (16), quando se comemorou o Dia Mundial da Voz, foram realizadas atividades no Upaon-Açu, voltadas aos professores com o objetivo de conscientizar sobre os devidos cuidados necessários à voz e para informar a respeito de hábitos prejudiciais à saúde vocal.

Os professores tiveram muitas surpresas, ao logo da manhã, na chegada à escola. Encontraram, na porta dos seus armários, recadinhos com informações sobre as principais causas dos problemas da voz. Na hora do lanche, receberam maças, com instruções sobre os benefícios da fruta para a voz. E, ao longo do dia, aconteceram palestras e bate-papos com a fonoaudióloga Emmliny Serra, sobre alguns sintomas que podem ser indicativos de que algo não vai bem: rouquidão persistente, por mais de duas semanas, pigarros, dores constantes de garganta, sensação de incômodo ao engolir alimentos e perda da voz são alguns dos sinais que servem de alerta e podem causar distúrbios vocais.

Maiores Informações